NOTÍCIAS

Correio dos Açores - 06/08/2020

 

Taxa de desemprego nos Açores diminuiu para 4,9% e a população empregada aumentou 0,4% na indústria, construção civil e agricultura e pescas

 

Sérgio Ávila não tem dúvidas de que as medidas tomadas no período de pandemia deram resultados satisfatórios de Abril a Junho. O que ressalta é que a população empregada – mais de 500 açorianos - aumentou numa época propriamente difícil.

A taxa de desemprego nos Açores diminuiu para 4,9% face ao trimestre anterior, de acordo com os dados publicados pelo Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA) e a população empregada (112.522) aumentou 0,4%, sendo que a taxa de desemprego decresceu 2,3 p.p.

A taxa de emprego (15-64 anos) é de 64,8% neste trimestre, uma diminuição de 0,1 p.p. relativamente ao trimestre anterior e de 1,2 p.p. relativamente ao trimestre homólogo.

A taxa de desemprego no 2o trimestre de 2020 foi de 4,9%, inferior em 2,3 pontos percentuais (p.p.) relativamente ao do trimestre anterior e de 3,3 p.p. em relação ao trimestre homólogo. Esta taxa é a menor taxa desde o 4o trimestre de 2007 (onde foi 4,8%), conforme diz o SREA.

Neste trimestre, a população desempregada nos Açores estima-se em 5.795 pessoas, o menor número de desempregados desde há 50 trimestres, menos 4.515 desempregados que há um ano (-43,8%) e menos 2.919 que no trimestre anterior (-33,5%).

A nível nacional, a taxa de desemprego no 2o trimestre de 2020 é de 5,6%, diminuindo 0,7 p.p. comparando com o trimestre homólogo e 1,1 p.p. relativamente ao trimestre anterior, conforme dá conta o SREA.

 

Medidas e estratégia seguidas dão resultados


Olhando para os números, verifica-se que os Açores têm a taxa de desemprego mais baixa relata Madeira e a Portugal continental. Isso, nas palavras de Sérgio Ávila, vice-presidente do Governo dos Açores, decorre do trabalho que o executivo açoriano tem vindo a fazer, “com um conjunto as medidas que temos vindo a implementar e da estratégia que seguimos para este novo período”, sublinhando que para isso tem de ser continuado “o desenvolvimento de medidas e de políticas tendentes à continuidade e obtenção destes resultados que fazem dos Açores uma referência no contexto nacional” ao nível do emprego e de redução da taxa de desemprego.

Para o vice-presidente se estes resultados “dão satisfação e confiança”, por um lado, também exigem, por outro, “que nós permanentemente monitorizemos a situação dos indicadores nacionais e internacionais, de forma a continuar as medidas sempre que necessárias para promover e manter o emprego”, tendo em conta que“os desafios estão em permanente mutação que se colocam à região e ao país face ao enquadramento nacional e internacional existente”.

Sérgio Ávila não tem dúvidas de que as medidas tomadas no período de pandemia deram resultados satisfatórios de Abril a Junho. O que ressalta é que a população empregada – mais de 500 açorianos - aumentou numa época propriamente difícil.

Isso explica-se “primeiro pelo facto de as empresas que tiveram que reduzir a sua actividade mantiveram o emprego, e, assim sendo, o objectivo das nossas medidas foram cumpridas. Segundo, o crescimento do emprego resulta, conforme os dados indicam, de mais emprego nos sectores da indústria, construção civil e agricultura e pescas.

 

Sectores primário e secundário com mais trabalho


Analisando por sectores de actividade, de acordo com o SREA, “verifica-se que, no sector secundário, o emprego apresenta acréscimos nas duas comparações (0,5%homóloga e 0,2% trimestral).

Ainda neste sector, o subsector da construção apresenta aumentos de 7,4% trimestral e 1,8% homólogo. Analisando por sectores de actividade verifica-se que, no sector secundário, o emprego apresenta acréscimos nas duas comparações (0,5% homóloga e 0,2% trimestral).

Ainda neste sector, o subsector da construção apresenta aumentos de 7,4% trimestral e 1,8% homólogo.

No sector primário o emprego cresce em termos trimestrais (7,5%) e diminui em termos homólogos (5,4%) e no sector dos serviços o emprego diminui, quer relativamente ao trimestre homólogo (2,3%), quer na comparação com o trimestre anterior (0,4%).

O SREA revela que “do total de pessoas que, no 1o trimestre de 2020, se encontravam desempregadas, 62,7% saíram dessa situação no 2o trimestre de 2020, sendo que 12,0% se tornaram empregadas/os e 50,7% transitaram para a inactividade.

Do total de pessoas com 15 e mais anos que, no 1o trimestre de 2020, eram consideradas inactivas, 3,2% transitaram para o emprego e 1,6% transitaram para o desemprego, no 2o trimestre de 2020.

No 1o trimestre de 2020, do total de pessoas consideradas empregadas, 94,5% mantiveram essa situação no 2o trimestre de 2020. Assim 4,8% deixaram de manter o emprego, tendo 3,2% saído para a inactividade e 1,6% para o desemprego”.

Já no que respeita à subutilização do trabalho, o SREA refere que o mesmo “apresentou um decréscimo de 3,2%, comparando com o trimestre homólogo e um aumento de 5,0%, comparando com o trimestre anterior.”

Mais. “A taxa de subutilização do trabalho é de 16,3%, apresentando uma diminuição de 0,4 p.p. em termos homólogos e um aumento de 0,5 p.p. trimestralmente, conforme regista a mesma fonte estatística.

Os números também são para o vicepresidente do Governo dos Açores um sinal de confiança que os empresários açorianos depositam na economia açoriana e nas medidas que têm sido desenvolvidas e materializadas.

Correio dos Açores - 6 de agosto de 2020

VOLTAR